Regras de ouro para aplicação dos transfers a laser

Os transfers a laser são uma técnica muito rentável e, talvez, um dos processos mais limpos e descomplicados na área da estampagem, no entanto, para quem está a começar agora o desconhecimento é mesmo o grande obstáculo.

A aplicação de transfers não é uma ciência exata e depende muito dos equipamentos, da condição destes e da destreza e conhecimento do operador também.


O que deve saber primeiro

  1. Este é um processo que carece alguma experimentação e por isso é necessário também alguma disponibilidade de tempo, paciência e persistência.
  2. O papel de transfer não é um papel comum e por isso não pode imprimi-lo como faria com qualquer papel de cópia.
  3. São necessários os equipamentos corretos para obter resultados profissionais, referimo-nos em particular a uma impressora laser e uma prensa.
  4. Nem todas as impressoras a laser têm condições técnicas para imprimir transfers. Isto significa que nem todas as impressoras têm a temperatura ideal ou suportam a espessura conveniente.
  5. Nem todo o toner é adequado também. Isto é, nem todo o toner tem as propriedades necessárias para uma aderência perfeita.
  6. As prensas têm características distintas umas das outras. É normal que as temperaturas recomendadas pelo fabricante possam divergir da sua.
  7. A temperatura que a sua prensa indica no mostrador pode, e muitas vezes não é, a temperatura real.


Configurações da impressora 

As configurações da impressora são absolutamente fulcrais para uma aplicação bem sucedida. De forma que a impressora possa ajustar-se ao papel é necessário que lhe seja dado instruções em relação ao papel que está a imprimir.

  1. Tenha a certeza que os controladores da impressora estão bem instalados.
  2. Escolha a ORIGEM: Bandeja multifuncional ou alimentador de papel manual. Não coloque na gaveta do papel normal.
  3. DESLIGUE a função DUPLEX. Tenha a certeza que a opção de impressão frente e verso está mesmo desligada, se assim não for poderá poderá danificar o fusor.
  4. Imprima sempre em alta resolução 600 / 1200 dpi. Assim irá obter uma boa saturação de cor e toner.
  5. Geralmente, o tipo de Papel que resulta bem para a maioria dos transfers são: ETIQUETAS 2 ou ULTRA PESADO. Em algumas situações específicas, como o Dark No-Cut ou Flex-Soft a TRANSPARÊNCIA (ou acetato) seria o mais indicado em situações em que a impressora o permita.


Equipamentos, acessórios e consumíveis indispensáveis

  • Prensa térmica.
  • Impressora laser. A OKI tem demonstrado a nível internacional bons resultados e por isso não temos qualquer dúvida em recomendá-las.
  • Termómetro de infra-vermelhos. Indispensável para conhecer a temperatura real da sua prensa, ajustar a temperatura mediante a necessidade e despistar situações de potencial avaria.
  • Fita térmica. Nem sempre é necessário, mas é recomendado para fixar o material em algumas situações


Este é um artigo que poderá sofrer algumas alterações à medida que surjam situações que o justifiquem.

Publicações Relacionadas

Comentários